Dieta do mediterrâneo

Desde os anos 1950, os profissionais de saúde como Ancel Keys tem
estudado as dietas do povo mediterrâneo. O povo da Grécia,
dieta - dieta mediterraneaparticularmente Creta, tinha a maior expectativa de vida no mundo até
1960, seguido pelo da população do Sul da Itália, Espanha e França. Os
aspectos importantes da dieta mediterrânea são a alta ingestão de
cereais, grãos, hortaliças, leguminosas secas, azeite de oliva, alho,
ervas frescas, frutos do mar e frutas. O vinho é consumido com a
alimentação em moderação. Carne e aves são também consumidos com
moderação. As gorduras animais na forma de manteiga, creme ou
toucinho, não são incluídas na dieta.

Muito da alimentação atual do Mediterrâneo pode ser rastreada dos
tempos antigos. A área que compreende o Mediterrâneo consiste em 3
continentes e mais de 15 paises. Alguns dos paises que influenciam a
dieta mediterrânea são: Portugal, o sul da Espanha, o sul da França, o
sul da Itália, Grécia, Creta, sul da Turquia, Síria ocidental, Líbano
ocidental, Israel ocidental, norte do Egito, norte da Líbia, norte da
Algéria e do Marrocos. Foi nas costas do Mediterrâneo que a Civilização
Ocidental começou. A oliveira, trigo, frutos do mar e carnes eram
realçados pelas especiarias árabes do Leste. Diz-se que os árabes
tiveram grande influencia na Dieta Mediterrânea, trazendo nozes,
açafrão, arroz, espinafre, açúcar de cana e laranjas à região. É lógico
que cada país tem a sua própria  maneira de prepará-los, tendo
adaptado os ingredientes ao sabor local. Mas o que se pode perceber é
que existe um consumo comum dos mesmos ingredientes, e até mesmo
na cocção. O resultado é bastante promissor, pois embora consumam
mais do que as taxas preconizadas para o índice de gordura diária, a
saúde de seus longevos, com atividades normais em idades avançadas,
faz com que paremos para pensar nos parâmetros que regem a atual
dieta ocidental.

Vamos fazer uma breve exposição dos ingredientes, receitas e
características da dieta mediterrânea. A maioria das suas receitas
consiste em ingredientes naturais e saudáveis. Uma melhor
compreensão da alimentação mediterrânea pode tornar nossas dietas
mais saborosas, desfrutáveis e saudáveis, tirando a conotação de que
uma dieta tem de ser insossa e monótona.

Azeite de oliva e saúde


É um dos pilares da dieta mediterrânea, não somente por suas
características sensoriais e sua boa aceitação, mas também pelos efeitos
benéficos demonstrados na saúde.  Homero, entendendo seus efeitos benéficos, chamou-o de “ouro líquido” e os romanos ampliaram seu
cultivo por todo seu império. A chegada dos árabes à Península Ibérica
proporcionou um importante impulso no suco da azeitona, que eles
chamaram de az-zait, o azeite. Deste então até nossos dias, o azeite de
oliva tem merecido atenção e elogio de escritores e entendidos em
nutrição e gastronomia.

Carne curada e embutidos


Ao longo dos tempos, a carne fresca tem sido processada, e dentro dos
diversos animais consumidos, o seu processamento foi a forma
encontrada para facilitar o armazenamento. Era também uma maneira
de aproveitar as partes menos úteis, sem desperdícios da carne abatida.
A grande tradição mediterrânea de presuntos e embutidos é
provavelmente de origem romana e grega e assim demonstram os
nomes como lingüiça e salsicha que provem dos embutidos romanos
lucanica e  salsicius. Aos gregos se atribui a invenção do chouriço de
sangue. O presunto oferece um generoso aporte de vitaminas do
complexo B, sobretudo a niacina. É rico em ferro, magnésio, zinco e
cálcio, e principalmente em fósforo. Cabe destacar que a gordura do
presunto ibérico tem uma característica importante: o ácido graxo
majoritário é o oléico, característico do azeite de oliva. Este facilita a
produção de HDL (o bom colesterol) no organismo, reduzindo ao mesmo
tempo o LDL (o mau colesterol).

Carne fresca


Os conhecimentos a cerca do consumo de carnes na alimentação
humana remontam desde o Neolítico, baseados em achados e estudos
arqueológicos. Posteriormente, as primeiras fontes escritas (no Egito e
no Oriente Próximo, principalmente) dão uma idéia aproximada a
respeito do consumo das carnes e da transformação do ser humano de
caçador a criador. Isto provocou o desenvolvimento de várias técnicas e
métodos de conservação (salgados, dessecados, defumados) que
permitiram ao homem, mesmo em períodos de escassez, seu consumo
constante. Sem dúvida, as carnes tem sido e são alimentos muito
valorizados e apreciados pelos humanos.
Do ponto de vista nutricional, a abundancia de proteínas de elevado
valor biológico, assim como sua riqueza em ferro e outros minerais e
vitaminas, fazem das carnes um alimento ótimo, que deve ser incluído
na alimentação humana de forma racional. Assim, em termos gerais,
pode-se afirmar que as carnes são  boa fonte de minerais: potássio,
sódio, zinco, fósforo e ferro. Com respeito às vitaminas, as carnes
fornecem uma excelente quantidade, sobretudo do complexo B (B1, B2,
B3, B6 e B12).

Frutas


Sabe-se que a fruta é consumida como sobremesa, ao final da refeição,
desde o tempo do Império Romano. Os romanos reservavam as frutas
para o final de suas refeições abundantes e intermináveis, porque
conheciam seus efeitos saciantes e anorexígenos. Para aumentar as
festas e não frustrar precocemente suas comilanças, deixavam a uva,
cerejas, melões e outras frutas da temporada para o final dos festins. O
alto teor de frutose da fruta faz com que tenha capacidade para reduzir
o apetite.
As frutas são um grupo de alimentos de origem vegetal, com um alto
aporte de vitaminas, minerais, fibras e água, e baixo teor energético.
Estudos sobre a dieta mediterrânea destacam os nutrientes que
aparecem nas frutas como agentes  que repercutem beneficamente na
saúde. As frutas têm um importante papel na alimentação equilibrada
em qualquer etapa da vida. São alimentos bem aceitos pelas pessoas
em geral, básicos durante a vida adulta e imprescindíveis para a
formação de bons hábitos alimentares, na infância e adolescência. Por
outro lado, a diminuição observada no consumo de frutas,
principalmente na população infantil e juvenil, faz com que seja
necessário uma mobilização imaginativa para fazer chegar à população,
a conveniência de seu consumo por seu valor nutricional e papel
protetor da saúde.

O artigo continua neste link: clique aqui para continuar lendo sobre a dieta do mediterrâneo

Dieta de 7 dias (Emagrecer rápido)

Você está procurando por uma dieta fácil e que faça você emagrecer bem rápido?
Apresentamos hoje a dieta de 7 dias além do benefício de perder peso você ainda terá um ganho na saúde pois, seu organismo estará funcionando muito melhor após os 7 dias da dieta.

perder peso facil - dieta dos 7 diasAntes de iniciar a dieta prepare-se bem, pelo menos uma semana antes de começar a dieta você deve ingerir pelo menos 2 litros de água por dia, para ajudar o corpo a eliminar toxinas e não deve consumir cafeina e álcool.
Compre tudo o que for consumir durante a dieta de 7 dias, para não precisar ir ao mercado e ser colocada diante de tentações!

Prepare-se para começar a mudança em sua vida que a deixará magra!

Receita para a dieta de 7 dias


Primeiro dia:

Beba um copo de água assim que levantar, em jejum. Depois de ir ao banheiro fazer suas necessidades pese-se. 
Beba mais um copo de água 30 minutos antes de tomar o café da manhã.
Comece o primeiro dia com frutas, elas ajudarão a limpar e preparar o organismo para os próximos dias que terão uma dieta mais diet ainda.
Tenha uma variedade de frutas, assim você não fica desanimada logo no primeiro dia de dieta.
Comece com alguma fruta rica em água como melancia, melão, manga, etc.

Almoço e jantar, mais frutas. Coma uma variedade de maçãs, peras, etc. 

Um dia comendo frutas e você perceberá logo as mudanças no seu corpo, nem vai precisar de "activia"! 

Segundo dia:

Novamente repete-se o passo inicial da dieta dos 7 dias, beba um copo de água assim que levantar, em jejum. Depois de ir ao banheiro fazer suas necessidades pese-se. 
Beba mais um copo de água 30 minutos antes de tomar o café da manhã.

Café da manhã
  • Uma fruta

Beba um copo de água 30 min. antes do almoço.

Almoço
  • Peito de frango, Alface, tomates ou suco de tomate;
  • Água, em meados da tarde


Beba um copo de água 30 min. antes da janta.
Janta
  • Chuchu cozido no vapor, couve-flor, cru ou cozido no vapor, vagem, cru ou cozido no vapor;
Água 30 minutos depois
Água, antes de deitar.

Terceiro dia:

Novamente repete-se o passo inicial da dieta dos 7 dias, beba um copo de água assim que levantar, em jejum. Depois de ir ao banheiro fazer suas necessidades pese-se. 
Beba mais um copo de água 30 minutos antes de tomar o café da manhã.

Café da manhã
  • Repita o café da manhã do dia 2
Beba um copo de água 30 minutos antes do almoço.

Almoço

  • - Alface, aipo, frango assado


Beba água 30 minutos após o Almoço, em meados da tarde e 30 minutos antes da janta

Janta 
  • Tomates, bife (qualquer tipo), suco de frutas (qualquer) 
Beba um copo de água 30 minutos depois da janta e antes de deitar-se.


Quarto dia 

Novamente repete-se o passo inicial da dieta dos 7 dias, beba um copo de água assim que levantar, em jejum. Depois de ir ao banheiro fazer suas necessidades pese-se. 
Beba mais um copo de água 30 minutos antes de tomar o café da manhã.
Como você pode ver, água é fundamental. Manter-se hidratada ajuda entre outras coisas a não reter liquido! Por incrível que pareça.

Café da manhã
  • Repita o mesmo café da manhã
Beba água 30 minutos antes do almoço

Almoço
  • 2 ovos cozidos, vagem, tomates ou suco de tomate; 
Beba água 30 minutos após o Almoço, em meados da tarde e 30 minutos antes da janta 

Janta
  • Bife grelhado ou hambúrguer, alface, tomates, salada, suco de abacaxi; 
Eu sei, você estará pensando em desistir! Mas não desista, já passamos da metade da dieta. Está quase lá!
Beba um copo de água 30 minutos depois da janta e antes de deitar-se. 

Quinto e sexto dia
  • Repita o dia 4
Sétimo dia

Você poderá estar fraca pela falta de ingestão de carboidratos, poderá comer hoje frutas verduras e hortaliças. UM POUCO de arroz integral.
Repita os passos iniciais dos dias anteriores.

Café da manhã
  • Uma fruta
Copo de água 30 min. antes do almoço.
Almoço
- Salada, vegetais e sucos – sucos reforçados de espinafre, couve, agrião e suco de cenoura com gengibre. Os sumos são ótimos para desintoxicação, e tem grande qualidade nutricional.
Janta
  • Saladas ou frutas com uma sopa (de sua preferência)
Beba um copo de água 30 minutos depois da janta e antes de deitar-se. 


Fim da dieta!
Finalmente você conseguiu. Pense sobre a sua postura durante essa semana que passou, a mudança mental é muito mais importante do que a mudança alimentar nesse caso.
Para manter uma vida saudável com essa dieta você deve repeti-la no máximo a cada 2 meses, nunca faça 2 semanas seguidas ou uma semana sim e outra não. Controle-se durante as semanas em que não estiver fazendo a dieta. Auto controle, se você conseguir isso poderá viver sem fazer dietas forçadas!

Dieta do sangue - Tipo O (Dieta sanguínea)

A dieta do sangue conhecida também como dieta sanguínea ou dieta do tipo sanguíneo foi desenvolvida pelo médico Peter J. d'Adamo.


Essa dieta do sangue se funciona da seguinte forma: 
Dieta do sangue - Tipo O

Cada tipo de sangue 
(A, B, AB e O) deve ingerir determinados alimentos e evitar outros, o que resulta em ligeira perda de peso e em uma saúde muito melhor. Os alimentos são classificados em 3 categorias na dieta do sangue:

  • Alimentos benéficos: são os que irão ajudar a tratar e prevenir doenças;
  • Alimentos  neutros: são os que não irão nem ajudar e nem atrapalhar na saúde;
  • Alimentos  maléficos: são os que podem agravar ou causar doenças e danos para a pessoa.


Agora a separação dos alimentos para o tipo sanguíneo O para se seguir a dieta do sangue.

Sangue tipo O

As pessoas de sangue tipo O que desejam seguir a risca a dieta do sangue devem seguir estas regras de alimentação:

Alimentos Neutros

  • Carne: frango e peru, atum, camarão, lagosta
  • Derivados do leite: muçarela, manteiga, minas frescal
  • Verduras: berinjela, abobrinha, agrião, inhame, repolho
  • Cereais: farelo de arroz, arroz, centeio, tapioca, aveia
  • Frutas: noz-pecã, castanhas, avelã, pinha 
  • Outros: óleo de canola

Alimentos benéficos


  • Carne: bovina, ovina, vitela, cordeiro, bacalhau, badejo, sardinha, linguado, salmão
  • :  queijo de leite de cabra, queijo de soja
  • Verduras: batata-doce, couve, quiabo, cebola, abóbora, brócolis, espinafre, alface romana, acelga, salsa
  • Cereais: pão de trigo germinado (pão-dos-essênios)
  • Frutas: ameixa, nozes, figo, semente de abóbora 
  • Outros: azeite

Alimentos maléficos

  • Carne: suína, caviar, salmão defumado, polvo
  • Derivados do leite : creme-de-leite, iogurte, leite (integral ou magro), a maioria dos queijos, sorvete
  • Cereais: trigo e milho
  • Frutas: laranja, morango, coco, amora, amendoim, castanha-do-pará, pistache, castanha-de-caju, abacate 
  • Outros: óleo de milho, óleo de amendoim